Cine Pathé: Transformando sonhos em realidade

No final da década de 40 e inicio da década de 50 o cinema estava entrando em sua época de ouro. Com sucessos que se eternizaram as telonas, como "Cantando na chuva" e "Crepúsculo dos Deuses", Hollywood já era conhecida em todo o mundo como uma fábrica de transformava sonhos em realidade.

Ao mesmo tempo, no lado de baixo do Pacífico, uma cidade estava no auge do seu crescimento imobiliário, com alto índice de procura em sua área central pela sua vasta zona comercial, esta cidade era Belo Horizonte.

Em pleno crescimento comercial, começou a febre dos cinemas de rua em Belo Horizonte, onde era possível assistir as grandes estreias "Hollywoodianas" sem sair da área central da capital e, em 1948, antes mesmo da Savassi ser um bairro, começou as atividades de um Cinema que marcou a região e o coração de muito Belo-horizontinos, o Cine Pathé.

 

Cine Pathé: o auge

 

Conhecido pelo requinte de suas instalações, amplo espaço e conforto, o Cine Pathé contava com mil lugares e uma tela Westrec, que era uma das melhores da época. O cinema ganhou bastante destaque pois, apesar de existirem muitos cinemas de rua em Belo Horizonte, não havia nenhum na região do bairro Funcionários. 

Levando entretenimento para milhares de pessoas, o Pathé teve em seu catálogo grandes sucessos da bilheteria internacional como "20 mil léguas submarinas" e "O homem que sabia demais".

O Cine Pathé passou toda a década de 50 sendo referência de cultura em Belo Horizonte mas o seu verdadeiro auge foi nos anos 1960, quando os críticos do Centro de Estudos Cinematográficos fez com que o Cine Pathé se transformasse em um "cinema de arte", elevando ainda mais o seu nível e atraindo olhares da elite da capital.

 

Cine Pathé: Hoje

 

Tombado pelo Patrimônio Histórico Municipal, o local mantém sua fachada preservada, o que traz de volta na memória de mineiros que ainda passam pela região, as boas lembranças que viveram no lugar. Hoje em dia, quem passa na Avenida Cristovão Colombo, ao invés de um cinema, vê um estacionamento, pois em 1999 foram exibidas as últimas sessões na tela do Pathé.

Há por toda as redes sociais movimentos que pedem para que o cinema seja reaberto. Já foram inclusive feitos atos de protesto na região, onde frases como "Cadê meu Pathé?"  e "Cadê meu cinema?" foram estampadas no local.

Em 2013 a Fundação Municipal de Cultura deu esperanças a todos os belo-horizontinos quando anunciou a reativação do cinema, falando também que o espaço seria revitalizado, com a criação de um complexo cultural, mas as negociações com os proprietários não progrediram.

O Cine Pathé fechou, mas nunca vai sair da memória das pessoas que tiveram a oportunidade de frequentar o cinema, que para muitos foi a primeira oportunidade de ver que os sonhos podem se transformar em realidade diante de uma tela.

 

Fonte:

https://bhaz.com.br/2016/08/03/cine-pathe-portas-fechadas-para-a-cultura-na-savassi/

https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/09/16/interna_gerais,804595/fechado-ha-17-anos-cine-pathe-ensaia-reestreia.shtml